CARGA & FISSURAS

RESOLUÇÕES PARA O NOVO ANO: NADA DUPLICÁVEL, UM TESTAMENTO.


Às vezes – disse – somos atraídos pelo que odiamos. Noutro lugar, alguém ainda menor disse que a coisa mais importante num bairro pobre não é a justiça, mas a comida, e logo fingiu procurar fazer face ao seu medo.


Agorafobia ou síndrome de abstinência, algum suicida potencial ou à caminho da catatonia, algo da mesma estirpe e pelo menos do tamanho das ansiedades está nas raízes das resoluções de novo ano. Novo ano seja a tua contagem, única, genética.


Melhor então prometer o que não se vai cumprir, melhor então cair numa cacimba e beber-lhe toda a água salobra, melhor então esforçar-se para infernizar a vidinha do próximo, da mulher, e preparar o mais exato veneno para a maioria.

Há até mesmo quem pare de fumar, logo entrado o ano, pára por dois ou três dias, e logo se lembra de que o céu caiu no chão e não mais se levantou na memória dos Homens, enquanto a propaganda faz parecer ágil e fácil o que não é.

Promete ser mais felina, promete ser mais borboleta, menos raquítica moralmente mais letal ou coisa que o valha, promessas e premissas escapando feito cardumes de tainhas e anchovas desesperadas, ostras quebradas, um pátio incendiado.

Nem eucaristia nem paralisia, nem secos & molhados, nada menor que uma tecnofobia a serviço da monstrópole única que está se formando, nada de belas fotos do aqui e do agora, o Mundo é só Conceito – muito pouco para entrar ou sair do meu

Testamento.

******

(DMC)
foto: Darlan

Anúncios
Esta entrada foi postada em arte.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s