Nada entre ambos se fez assim sem uma queimadura na bunda, sem o teor de sal no canto da boca e na sola dos pés, fruto da angústia de uma e duas e outras noites sem nada mais a não ser os gritos de um gato qualquer na sala do mundo, de um grilo na varanda do universo.

Ambos são assim: cabeçudos, plenos daquela ignorância que dilata as pupilas de tal forma que já não vêem nada, não sentem nada a não ser justamente o que temem: a Ausência.

Mas a Ausência tem infinitas maneiras de se manifestar, entra nas pessoas e sai delas assim: sem dar maiores explicações. E ambos já sabem deveriam saber a que leva isso de se darem como mortos um para o outro.

Anúncios
Esta entrada foi postada em arte.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s