sestros, manias, hábitos, tiques…












ODEIO TOSSIR

Seja uma tosse de carraspana, asmática tosse ou tosse de fundo nervoso, seja
oriunda das 400 delícias funerárias do cigarro, o fato é que não me deixo ficar
tossegosa em parte e em hora nenhuma, a não ser nos meus momentos
realmente pessoais, pois algo que não controlo

cai sobre mim de tal forma que me faz odiar tossir. Pessoas há, é certo, que
não suportam terem nariz adunco, cílios largos, bunda grande (calipígias),
grandes pés ou trejeitos constantes num canto da boca, mas o meu tormento é
a tosse. Ela me inquieta, me faz pôr as mãos nalguma roupa imaginária, me faz
sorver depressa-com-cuidado o café e o vinho.
Acho que não terei filhos - filhos tossem de madrugada, choram e obram obras
de outro mundo. Nas madrugadas eu quero coisas prá lá de terrenais, justa sob
o meu penhor de pele boa, igual a quem de si não quer se afastar. Não, evito
as latitudes da Sombra e as longitudes do Silêncio, todos os nós com os quais
se arma o tempo da tosse e de outras síndromes
e fraquezas, e por isso odeio tossir, principalmente quando há gente por perto,
porque há muito tempo eu gosto cada vez menos de gente. Não sei onde li que
para alguma coisa devem servir certas ausências. Odeio tossir.
***
OBS: Escrito após eu ler isso aí (o que me serviu para o título) num comentário
no blog de um dos meus contatos femininos.
Anúncios
Esta entrada foi postada em arte.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s