maio

MAIO

 
É maio, o solo e as paredes da cidade
fumegam com a sua entressafra
de medo e de sementes de alegria
permeando-lhe os primeiros passos,
assim como aconteceu com abril
e com todos os outros meses
e anos, séculos e milênios; maio
veio para trinta e um dias contigo
e comigo, mas muitos não chegarão
ao mês vindouro, isso porque
é mesmo da vida dar lugar à sua
antítese, então, vamos a ele, vamos
fazer história, ao mercado, ampliar
o leque de compras e trocas e vendas,
assimilar novas perspectivas
e dar peso ou mais leveza ao acervo
geral; eis ali uma criança, és tu
novamente; eis ali um ancião
com o teu rosto de depois de amanhã;
vamos a eles e elas, e que o tédio
não nos sirva para muita coisa,
embora também ele tenha lá os seus
encantos, como diz uma canção
chinesa (tudo lá tem mil anos e mais),
portanto, ponha-se pé e mãos na estrada,
melhor que se ponha tino na estrada
de areias de ouro que o mês de maio
espera de nós e de quem não sabemos
nada de sua existência… maio de seletas.
 
 
Texto e foto: Darlan M Cunha
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s