garagens

by Geert Goiris (Contemporary Art)

     Artistas e inventores muito devem às garagens. Um dia, cansado de bater a cabeça em cores imaginárias,  trabalhando ferramentas que já lhe doíam de modo severo os artelhos, a vista algo anuviada, cabelos revoltos sobre alguma fórmula nova e ao mesmo tempo antiga, resolveu passear. Que uma bicicleta é uma boa amiga é sabido há muito tempo, e lá se foi, levando despensa bem fornida e um cobertor, nenhum livro, nenhum wireless.

     Tempos depois viu um lago do qual nada ou quase nada sabia, tão absorto em suas premissas diárias de ir mais longe com suas experiências naquela garagem, afundado em promessas vagas a si mesmo, nada ou quase nada sabia daquela água ali estendida, boa para ser cortejada por alguém com um lanche, e música dentro de si, boa para uma soneca à sua margem, mas nada sabia daquela água – muito menos que engolira uma pequena cidade inteira, cidade cuja história antiga reza, trabalha e fornica com os peixes, mas cuja nova história está pronta para encher de luz muitas garagens onde o som de algum instrumento, os moldes feitos por alguma ferramenta, e a luz de alguma nova ideia se encontrarão.

     Inventores e artistas muito devem às garagens.

Texto: Darlan M Cunha

Foto: Geert Goiris (in Contemporary Art)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s