novembro

 

 

O mês abriu portas e janelas, com um pé
cuidadoso, mãos sutis e olhar inquiridor,
novembro avisou que veio para ficar,
se possível, mais de trinta dias, pois quer
ser lembrado lá na frente, quando seu pó
já estiver bem assente, sedimentadas
todas as camadas de que for capaz.
Ecos de si mesmo é o que o mês quer
que haja no decorrer da minha e da tua vida.
 
Foto e poema: Darlan M Cunha
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s