o mundo da rua

casario

     Consta que o imperador Claudio tanto detestava apotegmas quanto tecia assassinatos, e não era dado a aforismos, sempre trançando num girassol a sua atenção às camas e aos campos de batalha. Consta que ao poeta João Cabral a música não lhe dizia absolutamente nada, a música que, de acordo com da Vinci, era la figurazione dell’invisibile. Assim é que por essas e outras se diz que cada torto com sua trilha, cada qual com seus endossos, enfim, cada osso com seu cão. Mas eu tenho comigo que gosto se discute, de acordo com o que a minha avó materna dizia, quebrando as louças da subserviência, as sandálias da mesmice, os falsos estupores. Gosto se discute, sim. Minha avó materna sabia que é na rua que as coisas acontecem, e que por isso mesmo sabia que roupa suja se deve lavar é na rua – pelo menos certas roupas.

Texto e foto: Darlan M Cunha

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s