de Ur ao drone

IM000765.JPG

Sabará, MG, Brasil

 

     Um tempo cheio de incertezas é o que temos cada vez mais. Essencialmente, isso não difere tanto assim das incertezas de nossos ancestrais, do tempo das primeiras cidades lá na Mesopotâmia, o Iraque de hoje – Ur, Uruk, Nínive, Nipur, Kish. Inquietos, os humanos precisaram cada vez mais de espaço, e as migrações se fizeram, e ainda se fazem, de modo que por milhares de anos os pés levaram as turbas mundo afora, fugidos de inimigos, de secas, de escassez de alimento, sim, o homem não demorou a entender que é gregário, e assim continuaram juntos, habitando cavernas, já cientes do medo, antigo quanto a água. O fogo veio depois. A arquitetura veio depois. A música sempre existiu em suas entranhas.

     Foi um tempo enorme de caminhada, passando pelos hieróglifos, pinturas rupestres, lutas medonhas contra tribos surgidas não se sabia de onde, um clima desgraçado, tudo contra a sobrevivência dos parcos de cérebro, sim, foi insana e maravilhosa a caminhada dos humanos, rasgando tempo e espaço na rota do incenso, com a rota da seda, a longa marcha dos 5000 li, na China de mao tsé tung, a coluna prestes que andou 10 mil kms, a inacreditável dose de teimosia da gente de Canudos, bem como a epopeia dos exploradores árticos morrendo congelados, delirantes de entusiasmo e desespero, mais aquele do que este; a pavorosa inquisição da igreja católica, e as crianças estraçalhadas por dezoito horas de trabalho diário, na falsamente ética terra dos anglo-saxões, a invenção da bússola e da tipografia, ó céus e infernos, como esquecer o portal do inferno na Alemanha de 39 a45, advertindo que Arbeit macht frei // O trabalho faz a liberdade, e o portão do inferno na divina comédia, avisando para que Abandone toda esperança aquele que por aqui entrar ?

     Depois de tanto, resta-nos viver blindados, um drone em cada janela, comida plástica, botijões de oxigênio logo serão entregues na porta, por uma pequena fortuna cada, já que a vida, parece, ainda vale alguma coisa. Encomendei drones, preciso estar enganosamente preparado.

*

Foto e texto: Darlan M Cunha

Visite: PALIAVANA4: http://www.paliavana4.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s