soberbas letras – 3

dsc01052

Escrevendo e desenhando com os pés

*

ÚLTIMA FORMA

(Paulo César Pinheiro – Baden Powell)


É como eu falei: não ia durar
Eu bem que avisei, vai desmoronar
Hoje ou amanhã, um vai se curvar
E graças a Deus não vai ser eu quem vai mudar                                                                                Você perdeu

E sabendo com quem eu lidei
Não vou me prejudicar, nem sofrer, nem chorar
Nem vou voltar atrás, estou no meu lugar
Não há razão pra se ter paz
Com quem só quis rasgar o meu cartaz                                                                                            Agora pra mim você não é nada mais

E qualquer um pode se enganar
Você foi comum, você foi vulgar
E o que é que eu fui fazer
Quando me dispus te acompanhar                                                                                                   Porém pra mim você morreu
Você foi castigo que Deus me deu

Não saberei jamais
Se você mereceu perdão
Porque eu não sou capaz
De esquecer uma ingratidão
E você foi uma a mais

E qualquer um pode se enganar
Você foi comum, você foi vulgar
E o que é que eu fui fazer
Quando me dispus te acompanhar                                                                                                   Porém pra mim você morreu
Você foi castigo que Deus me deu

E como sempre se faz
Aquele abraço, adeus, e até nunca mais.

*

foto: Darlan M Cunha   ///   visite: PALIAVANA 4    ///   Ouça AQUI, com MPB-4 e CAUBY PEIXOTO: https://www.youtube.com/watch?v=xvZ80CKsvzM

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s