à mesa – 1

a-mesa

*

    À mesa todos vão, secos ou molhados, bem ou mal interpretados, as gerações vão à mesa, com ou sem fardos hereditários, com ou sem moléstia pecuniária, todos se acham normais, juntam-se na extensão da mesa, abrem risos e gargalhadas, ou se fecham numa bolha – se isto acontece, estraga o prazer, lá se vai a vontade de comer, adeus paladar sobre a peixada, o arroz, a salada.

      A mesa é tão antiga quanto a vida, é a própria, e assim é que bem lhe cabe o título de professora de homens e mulheres, porque, assim como se diz que é na rua que as coisas acontecem, da mesma forma se diga que é na mesa que muitas dúvidas podem ser resolvidas. O arroz e o feijão do amor, à parte ? Não, não renegar o básico é sabedoria.

     À mesa, a pressa fique para trás, fique jogada a um canto da sala, mochila pesada, a pressa destrói alicerces sociais. Eis a mesa domingueira, bem posta.

*

Foto e texto: Darlan M Cunha

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s