pedras e músculos

Igreja N. S. do Rosário dos Pretos – SABARÁ, MG – BRASIL
[CLIQUE NA FOTO. AGORA, PARA VER MEU ÁLBUM SOBRE SABARÁ, CLIQUE NO LINQUE AÍ ACIMA]

     Note bem que a parede lateral que se vê atrás da porta central está clara, ou seja, com luz solar, isso porque esta igreja ficou e ficará inacabada, sem teto e sem outros acabamentos devido a que os escravos pararam a construção assim que a notícia da abolição da escravatura chegou. Mas então começou nova labuta, porque os negros e negras não tinham nenhuma instrução, sem um ofício, sem nada, restou-lhes, segundo muitos, vaguear, criar núcleos, vilas, aldeias, quando não continuar servindo os antigos senhores – não foi quase nada tão diferente do antes. Pense bem em quantas Serras da Mantiqueira, em quantos Picos da Bandeira teve de subir, e em quantos Rios Amazonas teve de atravessar a nado o primeiro médico negro do Brasil. Quanto ranço enfrentou, com outros na Bahia, em Minas, etc. Nenhum Senhor permitiria que colocasse suas mãos sobre a Senhora ou sobre a Senhorinha. Pense que assim e de outras maneiras foi feita a sociedade. Rumos e extravios, eis que tudo é caminho, pedras no seio do caminho. OBS.: Leia sobre o médico JULIANO MOREIRA, cuja história eu já conhecia de outras bibliotecas, andanças, conversas: https://pt.wikipedia.org/wiki/Juliano_Moreira

*****

CASA DA ÓPERA ou TEATRO de SABARÁ – MG, BRASIL. Visitado por Dom Pedro I, em 1831, e Dom Pedro II, em 1881.


*****

Vox Populi

“Quem corre cansa, quem anda alcança.”

“Sou madeira que jegue não rói.”

“Enquanto descansa, carrega pedras.”

“Antes um passarim na mão do que dois avoano.”

“Cê né ôme, não, muié ?”

“Antes sozinho, do que mal acompanhado.”

*****

Fotos e texto: Darlan M Cunha


Anúncios

Dionísio ou em grego Διόνυσος

DEUS GREGO brinda ao Amor

DIONÍSIO, Deus grego do vinho na mitologia grega – equivalente ao BACO romano

***

CARTA À MÃE nº 104

Diletíssima MÃE MARIA JOSÉ,

continuando a missiva de ontem, a senhora mal pode  imaginar quão feliz eu estou com a minha nova atividade de doméstico, mas não domesticado, vejamos bem, porque este rebelde está sempre pronto para botar fogo na bunda do mundo. Pois bem.

A minha patroa está fazendo uma pequena viagem, e eu não resisti a me ver como o meu amigo filósofo Diógenes o Cínico e o meu também chegado de farras o deus Dionísio, e aí eis-me aqui dando tratos à bola, delirante porque mereço, sofri muito, como a senhora bem sabe, a senhora que sofreu muito, porém, é de uma alegria que anula todas as mil dores ou feridas recebidas, do que não me sinto capaz, porque sou rancoroso, perverso, sacrílego e outros vários adjetivos que não cabe dizê-los a uma querida Mãe.

Mãinha,

depois de amanhã, 22, farei novo aniversário, e o meu pai bem dizia que a partir de certa idade ou de certas idades a gente não faz aniversário e sim adversário, hehehe… Ó vida, o que vai ser de ti, sem mim ? Parodiando o grande maluco NERO, digo que “o mundo vai perder um grande artista“, ele dizia enquanto Roma pipocava, virava fumaça, cinzas, sob as ordens do Grande NERO MALUCUS tocando cítara, delirante como deve ser a vida. Em tempo: eu nasci de dia ou de noite ? Acho que foi à noite, madrugada chuventa.

Mãezinha, meu bolo de chocolate com mel,

prometo que no dia 22 iremos almoçar naquela nova e bela padaria e restaurante muito bonito no bairro Palmeiras, comprei um agradinho para a Senhora, não é nada do outro mundo, bom, 22 é também o dia de Santa Cecília, padroeira da Música e dos Músicos, sendo que pelo Brasil afora há centenas de bandas com o nome da santa, inclusive a de Sabará, com 237 anos de funcionamento ininterrupto, é conhecida também como Banda Chico Buarque de Holanda. Pois é, Sabará é logo ali, mundialmente famosa a pequenina vila do Sabarábuçú, gloriosa de Minas Gerais, com ouro, prata, diamantes e jabuticabas a rodo, e o encontro entre o Rio das Velhas e o Rio Sabará, bem dentro da cidade / city / ciudad / città / Stadt, já que é internacional, com o segundo teatro em funcionamento mais antigo do Brasil, sendo que o mais antigo poucos anos é o de Ouro Preto. Já toquei lá, a acústica é perfeita, não havia eletrônicos trezentos anos atrás, o violão voa, e eu também fico zonzinho com os acordes indo e vindo na minha cachola sem cerebelo, sem sinapses ou comunicação neuronal, sem nada ou quase nada de aproveitável para a ciência. Fico aqui na minha ‘desvalidez’, admirando quem pode, quem sabe, distribui: Ronaldo Fraga, Uakti, Grupo Corpo, Clube da Esquina, Giramundo, Skank, Maurino Araújo, Luthiers de Sabará, Grupo Galpão, Presépio Pipiripau, Dona Izabel Mendes da Cunha, Zé Coco do Riachão [in memorian]…

Mãe,

não ralhe comigo, poupe-se, não puxe minhas orelhas, vou beber mais um tinto e cantar mais algumas odes e declamar poemas gregos e romanos. Depois, irei ralar, doméstico, mas não domesticado, rebelde entre rebeldes.

Um beijo e um abraço daquele que te sabe de outro mundo. Seu filho meio desmiolado, mas bom garoto.

DARLAN

____________________________________________________________________________________________

VÍDEO MOSTRANDO O TEATRO DE SABARÁ, MG: Teatro de SABARÁ, MG – Rede Globo.

32º FESTIVAL DA JABUTICABA 2018 – SABARÁ, MG: FESTIVAL DA JABUTICABA – SABARÁ, MG

Coisas da Vovó (Carta à Mãe nº 102)

COISAS DA VOVÓ. Primeiros dez dias de outubro 2018.

Plural incomum [Trabalhos de Dona MARIA JOSÉ M CUNHA – 86]

 

Carta à Mãe nº 102

Querida MÃE,

agora no fim desta madrugada de sábado veio-me a vontade de preparar para a senhora uma boa gemada, pois a senhora ainda está no sonho dos justos. Livrei-me da preguiça e preparei a gemada com três ovos, canela, mel, pitada de sal – de filho para mãe, espero que goste, que a anime neste dia frio. Não quero ouvir tosse neste lar.

Dona Maria,

no segundo turno eu não fui votar, devido a que nenhum dos partidos envolvidos atraem o meu paladar, mas vamos apoiar o novo presidente, ou seja, esperar para ver, e daqui a algum tempo o país poderá opinar sobre se a saia está justa ou se precisa ser levantada ou abaixada, hehe…

Mãinha,

sei que está cansada, até porque as peripécias de ontem no centro de Bêagá, sob chuva, não foi fácil, e sentimos na pele como é complicado colocar em dia documentos disso e daquilo, como registrar a escritura de um imóvel, ato caro e demorado, etc, e a senhora, com 86 anos feito uma bailarina no centro da multidão de guarda-chuva e dos malditos celulares. Arre ! Alguns detalhes ficaram pendentes, mas teremos de voltar à carga, e eu bem entendo a sua forte preocupação. Peripécias rumo a três cartórios.

Flor-Mãe

prepararei um competente tutu à mineira, embora eu saiba que logo de manhã a senhora irá passar umas horas com amigas e amigos da igreja, porque hoje é dia de festa por lá, inclusive com petiscos, comes e bebes. Prepararei o tutu, e o comerei sozinho, lembrando-me sem hipocrisia de quem não terá algo à mesa mundo afora. “Faça a tua parte que te ajudarei – não é assim que a senhora sempre diz aos incréus como eu ?”

Querida entre queridas,

vou levantar-me daqui, fechando esta cartinha, e desejando a ambos um ótimo dia, e ao mundo desejar que tome juízo.

Um beijo do filho querido, meio desmiolado, mas bom garoto.

DARLAN

o mundo é tempero

Temperos

temperos alguns do mundo

 

     “afeiçam deles he seerem pardos maneira dauerme lhados de boõs rrostros e boos narizes bem feitos. / amdam nuus sem nenhuua cubertura nem estiman nenhuua coussa cobrir e mostrar suas vergonhas, e estam açerqa disso com tamta jnocemçia…”

A Carta de PERO VAZ DE CAMINHA – p. 72

***

     Como se sabe, na época das grandes navegações, dos descobrimentos, temperos nunca antes vistos pelos usurários europeus ajudaram a fazer suas riquezas, a Europa era pobre, e assim os temperos valiam mais do que ouro e diamante, e quem tivesse seu monopólio estaria muito bem. Tempero era música do desvairio… hehe.

 

Foto e texto: Darlan M Cunha

semana literária: suicidas 4: MAIAKOVSKI

Vladimir Maiakovski (Rússia, 1893-1930)

***

BLUSA FÁTUA

 

Costurarei calças pretas
com o veludo da minha garganta
e uma blusa amarela com três metros de poente.
Pela Niévski do mundo, como criança grande,
andarei, donjuan, com ar de dândi.

Que a terra gema em sua mole indolência:
“Não viole o verde de as minhas primaveras!”
Mostrando os dentes, rirei ao sol com insolência:
“No asfalto liso hei de rolar as rimas veras!”

Não sei se é porque o céu é azul celeste
e a terra, amante, me estende as mãos ardentes
que eu faço versos alegres como marionetes
e afiados e precisos como palitar dentes!

Fêmeas, gamadas em minha carne, e esta
garota que me olha com amor de gêmea,
cubram-me de sorrisos, que eu, poeta,
com flores os bordarei na blusa cor de gema!

( Maiakóvski – tradução: Augusto de Campos )

Mais poemas de VLADIMIR MAIAKOVSKI no blog POESIAS POEMAS E VERSOS: http://www.poesiaspoemaseversos.com.br/maiakovski/ 

***

 

MAIAKOVSKI teve impulso específico ou determinante para a revolta que foi sua marca registrada contra os desencontros sociais da Rússia (nascera na Geórgia), solidário com ela por toda a vida, o que naturalmente refletiu-se de modo claro na sua obra. Sempre de cabeça erguida, olhos furiosos, desconfiado, não media esforços rumo à vida – embora que ele mesmo daria fim a ela. Sua poesia grita no convés dos pescadores, em vão, bota fogo nos adros, canta e dança nos descampados, nas aldeias e bordéis, incentiva os camponeses: que olhem nos olhos das beterrabas, enfim, um patriota, órfão, azedo e doce, conforme as circunstâncias que ele, até certo ponto, tecia, sem ficar no meio do caminho. E isso fez toda a diferença / And that has made all the difference – como escreveu no seu mais famoso poema o estadunidense Robert Frost.

Darlan M Cunha       

Resultado de imagem para imagens de setas para baixo

obras & eleições

CUPINZEIROS invadindo a TERRA, ALIENÍGENAS.

ATENÇÃO: Obras de alienígenas, invasores da Terra, ou moradias de nativos ?

28962896

Candidato A                                                     Candidato B               

 

@1

    Ontem, a poucos dias das urnas medirem forças, deste ato ser fatiado, ingerido e quiçá diluído (sintomas no ar), fui ao mercado ouvir verborragia eivada de loas e críticas ferozes, indo às vezes às vias de fato, porque urnas têm o poder de agravar agravos escondidos nos travesseiros, nas pílulas, nas gavetas, no palato, na ânsia dos sapatos.

     Se uns dizem algo em prol da candidatura tal, outros refutam-na com mil estatísticas, razões e desrazões, sarcasmos e injúrias, pois as memórias dos combatentes avivam-se, e alguém se lembra de algo da vida do candidato, ali num balcão da feira, entre petiscos & tragos, gente no sal do dia, slogans de cunho claramente evangélico, deus entrando na jogada, muitos se calam pois não há o que dialogar com quem morto está – segundo um conceito, Deus morreu já faz tempo.

     Folhetos com o número e a foto dos candidatos sorrindo para a chuva e quiçá para o sol “entopem o meio-fio”, como diz a canção Clube da Esquina nº 2, do LÔ, do MILTON e do MÁRCIO, mas referindo-se a outro contexto essa frase desta canção ímpar – que fique bem claro.

MÁRCIA canta MORDAÇA (canção censurada à época) com os autores EDUARDO GUDIN  e PAULO CÉSAR PINHEIRO: https://www.youtube.com/watch?v=WCDdEUaFPK0

 

@2 

Se amar é passado, desgaste inútil, que caminho tomar

para dele fugir de vez ou com ele noutras águas reentrar ?

 

Amar é verbo intransitivo, como escreveu um bárbaro, transitivo

ou tornou-se adjetivo ejetável por bocas amargas ?

Ele já não transita nesta esquina sobre a qual me debruço

preso ao riso, mas muitas outras vezes mais ao soluço.

 

Amar é circo que chega com animais estranhos e vestuário

peculiar, narizes rubros, mentes com música e trapézios

perigos que um dia nos levam para outro lugar

talvez para o Nunca o mesmo amor que por ali entrou.

“Tudo o que mais nos uniu, separou / o importante é que a nossa emoção sobreviva.” *

 

***

Foto, crônica e poema: Darlan M Cunha

BETO GUEDES: O Medo de Amar é o Medo de Ser Livre: https://www.youtube.com/watch?v=POgMvToR4-s

Guerreiros/as 16

 

Feira artesanto - UNI-BH >>>

Feira de artesanato. UNI-BH >>> 07 outubro 2018

 

Para: Cristileine Leão: https://depressaocompoesia.com/

Para: Mariel Fernandes: https://marielblog.wordpress.com

Para TODOS e TODAS.

 

@1

     Hoje cedo, enquanto eu corria, vi meu vizinho Adamastor na janela, sobre o qual falei um pouco aqui mesmo numa postagem bem recente, ele que mora num 36 m², do qual diz seu paraíso, ar doce ar. Perspicaz e afável, sempre em litígio com a Lei, às vezes dúbia, não é de estranhar que tanta gente se bata contra tantos empecilhos,  proibições, avisos sutis ou claramente ameaçadores, apertando-nos feito uma boa constrictor (jiboia) apertando sua vítima, negando-lhe fôlego.

@2   

     Amanhã será Dia da Padroeira do Brasil, mas há engano também nisso, isso porque padroeiras do Brasil são as mães de todos. Ponto final.

@3

     Nunca seguindo o padrão global, minha rede social não tem nada de show de tolices sem fim, ostras podres, olhares cúpidos, passeatas marcadas num clique por caixotes vazios com o nome de cerebelo, pituitária, sinapses, fluxos neuronais e sistema nervoso central, enfim, essa rede tanto é de astronautas quanto de argonautas muito especiais, de forma que o começo do Nada tem algo a ver com ela. Visite, mas não me procure no face ou no twí, tenho mais onde estar.

     Pra mim basta um dia, não mais que um dia, um meio dia* – diz a canção, e por falar sobre meios de comunicação de massa ou, em alemão, massenkommunikationsmittel, minha rede estende-se da entrada sul às entradas norte, leste e oeste desta aldeia onde gente como o nosso raro amigo Alípio I – O Sonso, e Bebel Cornucópia (põe corno e faz cópias), Joana Godívia, Zé Serrote, Lico Boaventura, Cirino Lunático, André de Sapatão Novo, Ariel Estafeta do Prefeito, Arnaldo Peixinho de Padres, Célia Tomba-Homem, Natanael Língua de Trapo, Hervé Mundano, Ana a Sábia, Marli Já Vou, Marta (a epilepsia por companhia, e muito carinho geral), e o Raimundão do Açougue, também chamado de Raimundão Maminha de Vaca ou Raimundão Acém ou a Cem Por Hora, enfim, uma fauna para hospício nenhum botar defeito, dizê-la inacabada. Caraca, minha mãe parece até que já desistiu de mim, com tais companhias, mas são boa gente, são a antítese do que se vê por aí, são mais unidos e unidas do que siameses.

@4

      – Meu amigo, em torno a esta lareira, não diga nenhuma maldade.

Inscrição sobre a lareira da casa de nome Taliesin, do arquiteto de renome mundial, Frank Lloyd Wright, EUA, terminada em 1889. Lá mesmo, enquanto se ausentara, sua segunda mulher e dois filhos foram mortos por um serviçal, que também incendiou tudo.

Fotos da residência TALIESIN: https://www.google.com/search?q=fotos+da+casa+de+Frank+LLoyd+Wright%2C+talietsin&ie=utf-8&oe=utf-8&client=firefox-b-ab

 

*****

Foto e texto: Darlan M Cunha

ficção real

Carne no bafo

CARNE ? O QUE É ISTO: TROCO DE VOTO ? AINDA ?

 

@1

     É direito ou dever, castigo ou regalo ? Pensei assim enquanto segurava a lista imensa de candidatos deixada à porta, à revelia da sorte ou do humor dos moradores, porque se o voto é a gula dos pedintes, a razão de ser rumo a um cargo político, falta a ele o teu sim para legitimar a tomada de posse. Sentei-me, reprimindo tanto o riso quanto as nuvens sobre as táticas que os humanos engendram. O voto tem olhar de súplica, a palidez da obsessão, sorrindo, pede acesso sutil à nossa tendência eleitoral, mas se balançarmos a cabeça no modo clássico de negativa, ele fará um muxoxo, agastado conosco, ó, nem só de votos e ex votos vive o homem. Saí para o dia, já me adiantando à chegada do Dia E, pois no dia das eleições os donos das leis não nos querem ver nos bares e restaurantes, como bons pagãos, eles nos querem em casa, pelo que só nos resta comprar, um dia antes do Dia E, cervejas e outros relaxantes ou desvirtuadores de conduta. Muitos dizem que se o voto fosse facultativo, boa parte do eleitorado não daria as caras, cada pessoa poderia exercer de fato sua vontade, fazendo disso uma obrigação pessoal ou não.

    ” Façam jogo Senhoras, rolem os dados, Senhores, as cartas estão na mesa, voto é penhor e penhora, sejam felizes, sem demora.” [Palavras de crupiê].

@2

     Tenho conhecido pessoas bem mais do que apenas interessantes. como um dos meus vizinhos, que mora entre 36 metros quadrados, aos quais chama de meu paraíso, paraíso que ele pouco desfruta porque vive em débito com os braços severos da Lei. Bom rapaz, precário no respeito à lei, está radiante. Ontem, ele veio aqui, bebemos, comemos, rimos, ficamos fulos com muitas coisas, inclusive por termos ido votar às oito da matina. Ele disse que desde sexta-feira estava muito feliz, porque ninguém podia ser preso, a não ser em flagrante delito, então ele se aproveitou da bondade da Lei, e visitou o “por trás” de alguns muros, pelo que está de bolso raro, de nado, bolso farto o do vizinho.

@3

     Lula está preso. A mineira Dilma perdeu o Senado, ficando em quarto lugar, Dirceu está estudando no Liceu PF, e há muitos de partidos variados na berlinda, na prisão. Fim da Era PT, no qual nunca votei. Farejo, sou cão e formiga. O faro das formigas por açúcar é insuperável. Viva os formigueiros. Quanto ao formigueiro humano, tenho reservas…

@4

     Ao amor não se dê avaliações, mas vamos a ele de andamento lento, allegro, andante maestoso, que o amor é assim: um dia vem, outro dia não vem – como já havia sugerido um rapaz de Itabira. Mas vamos de staccato, samba e frevo, carneval. Para que o amor passe a limpo as veredas e os rios de nossa atitude anterior à sua chegada, é preciso mudar de alguma forma e em algum nível as atitudes, enfim, adaptar-se ao outro. Fácil, não é ?

@5

     Espantalhos são vestidos com roupas de largas estampas xadrez. O Diabo usa chifres e rabo, tem olhinhos libidinosos, e de vez em quando ele se disfarça de sapo, de espelho, de nota de cem, etc… ad infinitum.

@6

     Vou agora deixar vocês numa companhia tão boa quanto a minha, hehehe, ou seja, deixo vocês com Ítalo Calvino:

Essa longa rua que leva para trás: dura uma eternidade. E aquela longa rua que leva para a frente – é outra eternidade.”

 

***

Foto e texto: Darlan M Cunha

EXTRA: Na quarta-feira passada levei o PC ao técnico, visto que o acesso à Internet tornara-se impossível (víus ?). A conta: R$ 220,00.

Candidato

 

DSC00965

O concreto e o abstrato

 

Candidato: JOSÉ COLOSTRO SILVA [Zé da Mãe, apelido no bairro]

Nº de cédula: O mesmo do dia do PIG BANG

Candidatura: Senado

Partido: PSPNC [Partido Sem Pé Nem Cabeça]

      Minha utopia não foi enterrada com o cordão umbilical. Está bem, sei de antemão que só posso contar com certeza absoluta é com o voto da minha doce mãe MARIA. Meu pai se foi há seis anos, mas de vez em quando o guardião da chave celestial, São Pedro ou Dom Pedro ou simplesmente Pedrão, que não morre de amores por mim, me transmite saudações de meu pai à minha Mãe, e eu, filho dedicado, repasso a ela.

     Mas hora é da verdade eleitoral. Fiem-se em mim, pois ainda há jeito para meia dúzia de coisas, assuntos, fatos pendentes. Nada de fugas, túneis, cordas, barcos furtivos, de dinheiro escondido nas meias e na cueca [lembram-se?], de mensalão, mensalinho, lava jato, de 53 milhões enchendo malas e malas num apê em Salvador, BA [lembram-se?], portanto, chega dessas histórias tenebrosas. Confiem no Zé da Mãe.

     Chega de carneval e fútilbol o ano todo, bebedeiras e outras tentativas de saída pela tangente, farras, gandaias, baladas, fuzuês, de viagens ao fim do mundo e temporadas no inferno, de Trumpalhão, de miragens infestando o mundo – palavra do meu Alter Ego.

     A bíblia diz que um guia espiritual abriu o mar para o povo judeu passar. Balela. Qualquer povo só irá pra frente se tiver na conta da língua seu voto. O resto é figuração.

 

PENHORADO, CONTO COM VOCÊS – BOM CIDADÃO, AMADA CIDADÃ.

Carta à Mãe nº 101

 

Lar doce lar – tudo azul no céu da boca

 

Dona MARIA

     primeiro, tomo-lhe a bênção ou, como antigamente, a bênça. Ó, espero que a Senhora tenha gostado dos presentinhos, já que não estava satisfeita com o liquidificador antigo, pela pequena capacidade do copo. Quando a senhora for pro céu, a senhora me leve, porque já estou cheio de ouvir tolices, cheio de dubiedades, doenças reais e fictícias, livro e mais livro de auto ajuda, de samambaias, homens e mulheres choronas, já estou NU e NO LIMITE, é isso aí, vou pegar carona com a Senhora, rumo ao céu, pois só assim o guardião da porta do céu talvez me deixe entrar – eu pecador, criminoso de longa data, mas Mãe é Mãe, e fará com que eu seja admitido na glória celestial. Não temos pressa, vamos ficar aqui por um longo tempo, devagar e sempre, somos de Minas, e quase todo mineiro é sossegado, mas todo mineiro é conspirador – tataranetos/as dos Inconfidentes Tiradentes, padre Rolim, padre Manoel Rodrigues da Costa, padre Toledo, Tomás Antônio Gonzaga, Alvarenga Peixoto, Cláudio Manoel da Costa, o sargento-mor Luiz Vaz de Toledo e muitos outros de visão larga. Doze foram condenados à morte. Mineiro é conspirador, muito cuidado com o andor… hehehe.

Mãe

     meus resultados médicos, a partir de vários exames, inclusive uma biópsia de pele em região zigomática esquerda (rosto), tudo feito com esmero por amigas e amigos, deram ou resultaram em Acantoma de Bainha Pilosa, portanto, nada de carcinoma, sarcoma, ou seja, câncer de pele. Fique aí bem descansada, porque hoje, domingo, farei um almoço supimpa para nós. São cinco da madrugada, café pronto, escrevo-lhe estas mal traçadas linhas, como diz a muito antiga música do Erasmo Carlos, cuja cuca ainda está quase tão boa quanto a minha.

Mãinha

     vou votar na Senhora para Cozinheira-Chefe do Céu, ao invés de votar nessa turma que se apresentou para a presidência da Rês Pública, isso porque às vezes a gente perde a paciência, e deve extrapolar com elegância, nada de estrupício e de estropício. Quem viver verá que outubro vai chorar brasas, e que a posse, em janeiro, será em meio a cinzas

Dona MARIA

vou me despedir, mas agora mesmo estarei aí, continue dormindo manso, a senhora merece, incansável no amor às pessoas conhecidas e desconhecidas. Preciso aprender isto, acho que ainda não é tarde demais para aprender.

Beijos e abraços do seu filho mais velho, meio desmiolado, mas bom garoto.

DARLAN

ERASMO CARLOS – A Carta: https://www.youtube.com/watch?v=u4yCDVGmYMM