Mãe

Dona MARIA JOSÉ – hoje, 13 Abril 2021: 89 anos (1932, Medina, MG)

Carta à Mãe nº 146

Dona MARIA,

segundo a Senhora, eu nasci por volta das duas horas da madrugada (teria sido já um indício desta vidinha de breu, que ninguém vive, senão eu ?), pois é, assim como os outros nove partos, tudo ocorreu bem, sem contratempo; ora por mãos de parteira, ora por mãos de médico/a, e, ainda por cima, para felicidade de toda a Família, a Senhora nunca esteve sob a necessidade de uma internação, para alegria também das mil amigas e amigos sinceros que a Senhora fez durante a sua longa e incrivelmente dinâmica existência de pintura a óleo, pintura em panos de prato, crochê, tricô, doces mil e mil salgados, chás e sopas, que nem Deus sabe, de tal forma que eu sempre digo, sempre sério, mas meus amigos e amigas, que conhecem a Senhora, sabem disso, mas ficam rindo da minha cara de sonso, quando digo que eu fico cansado só de ver a Senhora trabalhar, não sossega, está sempre com um dito popular, entre vários outros, por exemplo: enquanto descansa, carrega pedras.

Mãe, Flor entre Flores

não poderia ser de outra maneira: a Senhora nasceu de dia, veio incrementar a luz de Hélio, também conhecido pelo nome de Sol, e veio incrementar também pautas de Música, com a nota Sol, é isso, Dona Maria, Soy feliz, soy un hombre feliz / y quiero que me perdonen / por este día / los muertos de mi felicidad. (SILVIO RODRIGUEZ, Cuba).

Mãinha, meu Lema sem dilema, ó, a Senhora é O CARA

é um sonho tê-la ao lado de tanta gente, preocupada com os que moram tão perto e com os que moram tão distantes, noutro país, ou seja, 15 netas e netos, 14 bisnetas e bisnetos e três trinetas, não é fácil, não para os simples mortais, mas como eu sempre suspeitei que a Senhora veio dos Anéis de Saturno, então, é possível, foi possível, possível será.

Mãe, meu algodão doce, inveja maior de Deus e de Nossa Senhora (com todo respeito)

chega de escrever, mas já estou indo para casa, já comprei um presentinho para a Senhora – Luz entre Luzes, Suavidade entre Decibéis Exagerados, Cascata Límpida como os olhos de uma Humilde Abelhinha, sim, tudo isto e muito mais a Senhora MARIA JOSÉ foi, é e será.

MÃE e Filho, nos 89 anos da Dona MARIA.

Mil beijos e ene abraços deste filho meio desmiolado, mambembe, analfabeto, mas bom garoto

DARLAN

CARTA À MÃE, nº 146

Biscoitos de coco, biscoitos que parecem rosas.

Dona MARIA JOSÉ, a benção

Esta é a primeira carta de 2021, mas não porque eu estivesse atarefado, ou assim e assado, isso e aquilo, e sim porque não sabia o que escrever entre tantos mortos – embora eu esteja acostumado a óbitos, a sofrimentos indescritíveis, ver a cor ciano no rosto de tanta gente, olhos fundos, as pernas e as mãos em falso, o tremor da dúvida nalguns, o tremor de um medo invisível e insolúvel noutros, de tal forma que fiquei por aí, zanzando, exagerando na vodka com água de coco e gelo, mas cá estou, e já lhe conto talvez alguma coisa boa, engraçada ou não, a senhora sabe que jogo duro e jogo macio também.

De queijo…

MÃINHA, minha fruteira tropical

fico sempre e cada vez mais espantado com a energia teimosa da senhora que, faltando dois meses para completar 89 anos nunca esteve internada e, com dez filhos, também nunca teve empregada. Espantoso, sempre comento isso com amigas e amigos de fé, os quais e as quais, aliás, a conhecem e amam a senhora. Eles e elas sabem que quando não há mais serviço a senhora inventa – e não para nem se Deus pedir, de joelhos: “Maria, filha, sossega um pouco. Descanse.” Em vão, Senhor Deus, com todo respeito, digo por ela, simples, alegre de doer os dentes, ela não sossega, não.

De polvilho…

MÃE, pudim de nuvens alvas

eu sei que hoje a senhora terá outro dia inesquecível, desta vez com a neta Fá, o marido Joaquim e o casal de bisnetos, que vieram passar uns dias no Brasil, muito embora o perigo que ronda o mundo. Lembro que na terça-feira ficamos o dia quase todo na cozinha, preparando biscoitos de coco e de queijo, broa, enchendo potes; ontem, bolo de chocolate e o fantástico manjar branco – tipo de pudim com ingredientes naturais à base de coco ralado, creme de leite, leite moça. Amanhã, irão passear em Sete Lagoas, uma das melhores cidades de MG, terra agropecuária, laticínios.

Manjar branco

Dona MINHA MÃE, a sua vida é essa: servir

mas vamos aos preços, que o do ar subiu na cotação geral. Eu quis trazer uma ou duas ajudantes aqui pro barraco, para me ajudarem nas coisas simples da casa, estou me sentindo um caco, mas o custo me espantou, sim, o preço dos alimentos em geral, Santa Bárbara do Tugúrio, que mundo é este no qual quase que se troca sacola de alimentos por um lote ?

Biscoitos e biscoitos mundo biscoito…

MÃINHA, meu vinhedo inigualável

vou me despedir, mas agora mesmo estarei aí para este dia deveras memorável – mas todos os dias são memoráveis no mundo todo, em todas as famílias, álacres ou tristes. Vou me despedir. Tocaremos violão e cantaremos com a bisnetinha que é afinada e canta em dois idiomas. É um arraso essa nova Elis Regina de poucos anos de idade.

MPB

Já montamos o novo aspirador de pó para a senhora. Beijos e abraços deste teu filho meio desmiolado, quase analfabeto, preguiçoso (pecado venial), mas bom garoto.

Darlan

Carta à Mãe – 144

Buritis, BHte, 2020

Dona MARIA,

pessoas como a Senhora, por serem raras, ou de não se encontrar em todas as esquinas do mundo, nos desertos, no Ártico ou na Antártida, onde, em teoria, não há esquinas e outros tipos de divisões, devem sair às ruas todos os dias, sim, para iluminá-las, e, assim como está no título do muito querido José Saramago, modificar o Ensaio Sobre A Cegueira, que há tanto tempo, desde sempre, é marca registrada da humanidade, é isso aí… puxa, 88 anos !

Domingo, de carona, para ir visitar a Dona MARIA… ora, MÃE É MÃE.

Mãe Mãinha,

ah, sei que a Senhora gostou da saia colorida, que eu sempre compro para a Senhora, que ama as flores, sei disso, ainda quando eu morava no útero, reclamando do mundo, eu não me chamo só Raimundo, dizendo horrores do lugar para onde eu iria, e vim, e todos viemos. Pois é, ponho a mão em pala na testa, e vejo coisas boas, mas vejo também muito breu, mas tenho mais fórmulas e táticas ainda não usadas, e os bons como a Senhora vencerão. A Senhora, que é tão dada aos outros – conhecidos e desconhecidos -, bem nos ensinou isto.

O asseio constante… Dona MARIA não tem empregada.

Vovó Bisavó Trisavó MARIA JOSÉ,

têm biscoitos e bolo por aí ? Se tiver, irei; mas se não tiver (duvido), irei, do mesmo jeito. Ó, estou precisando de sentar-me devagar, sem barulho, para tentar me recompor de mais um susto que o meu coração fraco levou agora de manhã, na feira, sim, Mãe, os preços estão mais altos do que fumaça de jato, corri atrás, mas só deu para trazer uns verdes: ora-pro-nobis, taioba, couve, e tomates e pepinos, pacote de arroz (2 kgs), três quilos de carne para cozinhar – porque dura três, quatro, cinco dias, e até que o gás por aqui não esta tão caro: somente R$ 73,00 (fiquei sabendo que em Brasília, um butijão de gás já passou dos 110, 120…). Ó, chega lá pelo dia 20, seu menino já está rastejando, bolso furado (por falar em BOLSO… ?), e por aí vai, Mãe, mas a Senhora diz que é preciso ir, com dignidade, será. Unidos, venceremos, é o que diz o povão sem rumo.

Bolo de chocolate

MÃE, minha sopa de baroa com ovos cozidos, folhas de repolho e pão,

não se preocupe, as eleições estão aí, votarei na Senhora, com certeza, votar é esporte, votar é lazer, é riso garantido. Tenho encontro marcado (lembra do livro do Fernando Sabino: Encontro Marcado, que beleza, e mais beleza ainda o livro, já que falamos em rir até cair no chão: O Grande Mentecapto, também do Fernando Sabino).

Ó, vou me despedir, com 365 abraços e 365 beijos deste seu filho abilolado, analfabeto, mas bom garoto

Dona MARIA e três filhas…

DARLAN

Carta à Mãe – 143

Passeio domingueiro

Dona MARIA,

a bênção ! Deus tenha a Senhora sempre ao lado Dele, para que Ele possa lhe pedir conselhos sobre o que é que esta Sua filha Maria (Dele) acha disso e daquilo e daquiloutro, porque até o Senhor, parece, vive confuso nessa Era de nuvens, de uma poeira que não baixa, nunca.

Mãinha, meu jardim sem flores de plástico,

a Família no exterior está assim algo apreensiva com um resultado de certa importância, eu não sei o que é, acho que ouvi a palavra eleições, embora lá não seja obrigatório, parece que as tevês estão se esgoelando sem parar sobre o assunto, e lá no Mercado ouvi que vai haver eleição aqui também, é, não sei não, mas, porque eu ainda sou um cara entusiasmado, louco ou tolo, eu posso pensar em me candidatar, sei que a Senhora votará neste queridinho da Mamãe. Garantido.

Mãe, o meu café da manhã, reforçado e

bem supimpa, só se completa quando o dia ouve a voz da Senhora, divinal, o máximo nas paradas de sucesso do meu coração, e eu prometo que, se eleito, lutarei para subir as aposentadorias, os salários do professorado geral, e do corpo clínico, prin-ci-pal-men-te, os da rede pública (SUS), sim, vou entrar de tapas, abraços e beijos, sem luvas, levarei o meu velho e mui sábio par de chinelos para o plenário, é preciso impôr respeito, homem das letras que eu nunca fui, mas, como a Senhora diz, Deus é Pai, Deus proverá.

Dona Mãe Vovó Bisavó e Trisavó MARIA,

vou me despedir, não sem antes observar que os preços gerais estão subindo dum jeito que a minha velhíssima calculadora fundiu a cuca – e nem vou falar do arroz nosso de todo dia. Parei de comprar, é só para os eleitos.

Aquele pacote com mil e um beijos e abraços do seu filho meio desmiolado, analfabeto, mas um bom garoto, que sabe que Mãe é Mãe.

Darlan

Carta à mãe, nº 142

Essa carretilha é mais velha do que Deus – um dos tesouros da Mãe Maria José.

Dona MARIA

não darei desculpas esfarrapadas, e sim envio para a Senhora uma carta, mais ou menos livre da preguiça, essa doença que costuma equivocar-se de vítima, de cliente, de freguês de carteirinha. Dito isto, vamos aos conformes.

Mãe

as pessoas estão em transe, a terra em transe, já não sabem se ficam ou se vão ao mercado, à casa da vó, à praça para tomar a sua vitamina D3, grátis, e por aí vai este impasse real muito perigoso, e a Senhora sabe que eu sei do que falo, que não me consagro só ao meu umbigo, e por falar nisso, preciso voltar às corridas de tantas décadas seguidas, minha barriga está de cinco meses, é uma vergonha para este relapso, mas voltarei ao que serei.

Dona MARIA JOSÉ (88), ontem, domingo 11/10/2020: petiscos para a cambada. Mas todos nós ajudamos.

Mãinha, minha broa de fubá mimoso

aos trancos e barrancos, os pagamentos duravam até lá pelo dia vinte, ou coisa parecida, e eis que anteontem o amigo Dudu da Joana, na feira de rua, disse que o troco está tendo pernas até lá para o dia dezoito, algo assim, confirmando o que todo mundo sabe. Riso geral, o choro é animal livre.

Mãe – minha garantia de pelo menos um lugar no Purgatório para mim

embora sejam muitos os meus defeitos, erros, crimes, mas Deus proverá, como a Senhora sempre diz. Tenho notado a ansiedade que aos poucos toma conta da Senhora, devido à perspectiva de receber duas de suas filhas há tantos anos nos EUA. Não quero nem ouvir tanta conversa com bolo, doce, biscoito, saladas, pão de queijo, angu, quiabo com moranga, ora pro nobis, geleia de jabuticaba (de Sabará), chuchu com ovos, e mais.

Mãe

compramos nova cortina dupla, cor creme, para o quarto, ou seja, da cor das paredes, e do mesmo estilo da que está na sala. Ó, eu não vou reclamar, porque a Senhora merece o que houver de melhor, mas quinhentas pratas numa cortina… Mamma mia… fim dos tempos, só rindo. Deitei-me com um prato cheio de biscoitos que a Senhora fez, e fiquei ouvindo o barulhinho crocante de cada um: crac crac crac, hehe…

Mãe é Mãe.

Um abraço e mil e um beijos deste teu filho meio desmiolado, analfabeto, mas um bom garoto.

Darlan

Carta à Mãe, 142

Encontro lacrado

*

Carta à Dona Maria, 142

Antes de tudo, a bênção. Sei que a família continua atenta a ela mesma, e ao que vai pelas ruas do mundo, por isso mesmo foi que o neto Marcelo levou a família, devidamente monitorada em termos de saúde, para viver o domingo com a vó, já que uma das bisnetas completava oito anos. Ó, daquele pé de moleque não direi nada, antes, aquele arroz tão soltinho, amanteigado, que parecia gotas de chuva, não direi nada já nesta segunda-feira real. Continue com o chá de hortelã.

Mãinha, incansável criatura

para quase todo mundo é um tempo de amargura, de descalabro também, pois há tantos procedimentos cotidianos indo contra o que a prudência exige, e não apenas recomenda, exige, que nem é preciso saber matemática para que se entenda os números diários. Tudo é número, mas não há nada que a índole da Senhora aprecie mais do que sair e conversar e conversar, o que, com esta circunstância, é difícil, muito embora, logo cedo, irmos ambos para uma caminhada. A alegria legítima, já disse, está em perigo.

Dona MARIA, sol da meia-noite

não use gel 70%, fique com estes de graduação maior, confiáveis, que lhe levei, pois o uso contínuo daqueles pode afetar a pele das mãos, ressecando-as, isso porque até o odor de algumas marcas na casa dos 70% é de pura cachaça (e aquilo nem é cachaça, tamanha é a desfaçatez com a bebida nacional. Cachaça que mereça este nome é cada vez mais difícil de encontrar, por isso os canaviais choram de tristeza, ao sentirem que uma parte deles torna-se algo que as pessoas sabem ser veneno.

Mãe, meu pavê, meu patê, meu chá de camomila

para variar, os preços das coisas mais cotidianas acomodaram-se, sim, parecem quietos, melhor, mexendo-se lá no alto, já acima das rotas internacionais, jatos por volta dos dez mil metros, acima das nuvens, e agora me lembro da música querida do Beto Guedes, que a Senhora conhece, Ó meu grande bem, só vejo pistas falsas, é sempre assim...

Dona MARIA, aliança divinal

são duas horas da madrugada, já vou me despedir, mas não sem antes dar uma espiadinha no sonho da Senhora neste momento, e eu logo vejo que a Senhora está sonhando com o seu sinônimo maior que é a alegria da bondade. Fecharei de leve a porta. Mãe é Mãe.

Beijos deste seu filho meio desmiolado, quase analfabeto, detestado por alguns pais, mas bom garoto, com um passado limpo e um futuro luminoso.

Darlan

BETO GUEDES. LUZ e MISTÉRIO. https://www.youtube.com/watch?v=JmnuxxL8u9k