palato

BRASIL rapadura
***



CASA – 11

*

Não tenhas medo do prazer, lado a lado

com ele. Antes, dê o que pensar a quem

te viu e a quem te vê contando nos dedos

trevos e trevas, rios, montanhas, várzeas

descampados, geleiras, arames farpados

sanga, salinas, planaltos, planícies, cavernas

metrôs, restingas, desertos e campos minados.

*

Não recear o amanhã, a poã do caranguejo

e nem outra rusga entre o bem e o mal.

Receie Das Kapital, e os perigos da capital,

o que diz e o que não diz o telejornal,

vá para casa, ao pão na mesa contumaz

lembra que é em casa que se repõe o gás

(tens heterônimo ? ouro anônimo ?)

é lá que se pode livrar da febre terçã

e se reaprumar para o dia de amanhã.

***

Foto e poema: Darlan M Cunha

TADEU FRANCO. Onde eu nasci passa um rio (Autor CAETANO VELOSO): https://www.youtube.com/watch?v=ofAMOYWpd14