meta>>>gol

Campinho de todos (não se paga). RIO ACIMA – MINAS GERAIS – BRASIL

***

@1.

Estava mais angustiado / que um goleiro na hora do gol / Quando você entrou em mim / como um sol… (BELCHIOR, na canção Divina Comédia Humana).

@2.

Hoje numa padaria específica encontrei, entre pães sírios, italianos e alemães, pães com uma infinidade de recheios e gostos: de batata de cenoura de milho de mandioca de abóbora, ou com azeitonas, com azeite, com rodelas de linguiça defumada, com frutas cristalizadas, pães de forma e pães de alho e muitos outros, encontrei uma joia que eu não via havia anos, pode crer que reencontrei ‘marta rocha’, e a levei para casa, tremendo que nem um goleiro na hora do gol, eu saboreei a marta rocha de tempos idos, e ela por aí. Que pão delicado ! Pensavas tu em algo ? Procure uma padaria mais variada.

@3.

Não vou encerrar essa ‘crônica’ em tom de baixo astral, não, mas o mundo vai demorar no mínimo uma década para se recompor, porém, dificilmente mudará radicalmente de rumo, logo se esquecerá de ter rastejado debaixo da batuta de um vírus, logo se esquecerá da tremenda e mortal lição – já se falou disso aqui, faz um certo tempo.

Bom, os preços estão convidativos, é fácil de se notar isso, este convite que incita cidadãos e cidadãs a não entrarem em vendas, bares, restaurantes, quiosques, brechós, lojas disso e daquilo, “promoções disso e daquilo”, não irem a ginásios clubes teatros estádios hotéis motéis (os dízimos das igrejas permanecem liberais, abertos à capacidade de cada um), tudo isso porque os preços convidam a nos mantermos com escorpiões e cascavéis nos bolsos, bolsos que, por natureza, são vazios, raros. Nas nuvens os preços.

***

Darlan M Cunha: foto e texto

BELCHIOR. Divina Comédia Humana.: https://www.youtube.com/watch?v=lDNKiB4pL1o

A Lei da Princesa Isabel não passou por aqui… ainda não, parece que não.

Pois é…

@1. Apanágios diversos (Não te percas de todo, não me culpes de nada, só de tudo).DMC

Lembra: Todo dia “ele” faz tudo sempre igual (quase todo dia, sem exageros), lembra que todo dia é dia de viver, você deve rezar pela xepa da feira e dizer que tudo tem melhorado, você merece, Marina, serena Carina, você se pintou, Deus e o Diabo na Terra do Sol, Pois é… pra que ?, eu não sei se vou te amar, amar no tempo do cólera ou da cólera, mas, pra não dizer que não falei de flores, ou cicatrizes, lembra que amigo é pra essas coisas, e que viajar é mais, encontrar a rosa e o espinho, lembra que o mundo é um moinho, Hay Gobierno? Soy contra?, repita: amigo é coisa pra se guardar, o deserto é logo ali o encontro marcado, a casa do atrapalhado Geraldo Viramundo, a conta chegou, e outra, o mundo é um moinho, aí estás sentado à beira do caminho, águas de março ou sol de primavera, Imagine, the fool on the hill, o sol não pode viver perto da lua, canto lunar, vou-me embora pra Pasárgada, lá eu sou amigo do rei, melhor dizer (e cumprir): vou-me embora para dentro de mim.

Jacas

@2. Clareira na noite / deserta procissão / nas portas da Arquidiocese (Fernando Brant & Tavinho Moura)*

Finja que estás na roça, que uma jaqueira convida, mangueiras cheirosas convidam, vacas aqui e ali, bois no bem bom do pasto, céu e estrume, biscoito frito, calma, nada de endoidar antes da hora, que ainda tem o bom suplício de se montar num cavalo, cachoeira é logo ali, convida, celular no lixo, per favore, finja que estás na mataria, no matagal, és de fato animal, o sossego ainda existe, mas só no imaginário, pensar cansa, viver dói, mói, mas, fazer o quê, senão viver ?, ponha o bornal e vá catar flores e gabirobas, volte logo para o almoço de pele de porco estalando, angu, couve rasgada nas mãos, frango ensopado nos caldeirões, batata doce, linguiça, cará com mel de abelha, banana da terra assada na chapa, banana dedo de moça, uma cachacinha para se lamber os beiços e leitoa assada, ora pro nobis, viola, todo mundo descalço, pés no chão batido, licor de jaboticada, Ê Minas, não é hora de partir, não, Calma, ninguém está te mandando embora, ora essa, essa aqui é uma terra hospitaleira, mas, lembra: todo mineiro é conspirador, por favor, mais umas lascas desta perdição de leitoa assada com maçã na boca, sim, estás de fato na roça, olhai os delírios do campo.

Darlan M Cunha

TAVINHO MOURA & FERNANDO BRANT: Beco do Mota: https://www.youtube.com/watch?v=b1WmqPQkwHc

3 em 1 ou 1 post com 3

SABARÁ, MG – BRASIL

@1.

Enquanto preparava o café, lembrou-se, com espanto, de ter sonhado que ao voltar de uma padaria, viu seus pais, de mãos dadas, indo em sentido contrário ao seu, na confluência de duas avenidas com a sua própria rua, e se inquietou, raramente sonhava – pelo menos não sonhos que viessem à tona. Conhecendo-se bem, sabendo de sua trajetória psicanalítica, não deu de ombros ao sonho – breve, inquietante, revelador. Acresce que o pai já é falecido.

Mãe MARIA JOSÉ

@2.

Aranhas e humanos têm muito, mas não muito em comum. Fiquemos assim. A história da tecelagem, em sua várias modalidades, é muito antiga, começou muito antes das sombras que nós inventamos contra nós mesmos; e mais antiga ainda é a história do pão, tão velha quanto a Humanidade. Na pequena cidade de Seia, em Portugal, há um Museu do Pão, e na mesma atenção para com o passado, há um Museu do Pão na cidade gaúcha de Ilópolis.

PRECISA-SE de UMA AJUDANTE DE COZINHA

@3.

Como lembrar-se do primeiro ovo que se cozinhou ? Eu gostaria de me lembrar da primeira macarronada que fiz, deve ter saído uma gororoba boa daquelas ! Nunca fiz curso culinário, também não procuro nada na internet a este respeito, e a respeito de ene assuntos, nada. Uma que outra coisinha foi comigo mesmo, veio do instinto de misturar o que usualmente não se faz na cozinha, e dá certo, mas, primeiro, sempre faço um pouco para mim – cobaia, hehe. Ah, é mesmo verdade que “o primeiro sutiã a gente nunca esquece“, conforme a linda propaganda televisiva idealizada já há tantos anos pelo publicitário Washington Olivetto, na qual surgiu a atriz Patrícia Lucchesi, então com 11 anos de idade ? Pois é, belezas há na vida, de montão, como diz o Povão: varrer o passeio, ler, meter o pau nos desgovernos, risadas na cozinha, pagar contas (isso não tem graça nenhuma), e por aí vai o cotidiano.

MUNDIALMENTE FAMOSA “IGREJINHA DO ‘Ó'”, SABARÁ, MG, BRASIL

@4.

Todos se acham mortais,* até eu, que nem imortal eu sou, e muito menos simples mortal, é o fim da picada não se saber quem é, ah, isso é o comum, o horizonte nunca sendo vasto, não há tristeza maior do que só ver becos, tralhas, rachaduras psíquicas, e sempre dando a entender que tudo vai bem, sim, as pessoas são honradas com a sua tristeza, mas sabem que para além dela, da tristeza inerente ao ser humano, também há a alegria inerente aos nossos mais bem encravados modos de ser. SER. Ó SERDESPENTO !

Darlan M Cunha

ELZA SOARES canta GONZAGUINHA (Vídeo Oficial da ELZA): https://www.youtube.com/watch?v=Ttn6V_r3D9Y

dominical

Eu uso tênis – antigamente chamado de quedes.

***

CLUBE da ESQUINA nº 3 – ou Venha vestir a roupa de algodão grosso dos mineiros, como fizeram D. Pedro II e a Imperatriz Tereza Cristina.

De vez em quando a cabeça dói, algum dente late, um dos sapatos põe a língua para fora em plena rua, e aí fica complicado, meu amigo, voltarás mancando para casa, minha amiga do bico fino (o sapato), sempre há pequenas surpresas cotidianas, cotidiárias, cotidiácidas, imprevistos que se muitas vezes são desagradáveis e até desesperadores, outras vezes, são até engraçados, se analisados tempos depois. Comigo aconteceu, na bela e pequena e próxima Rio Acima, de estar de terno e gravata, e ponha elegância nisso, sapatos de couro cru, um dos quais me fez o solene favor de abrir a boca na rua, mas tive tanta sorte naquele domingo, que um passante, caminhoneiro e, nas horas vagas, sapateiro, marceneiro, mestre carpinteiro e sabe lá o diabo o que mais de bom ele tem, notou o meu embaraço (embaraço, em espanhol, é embarazo, significa mulher grávida… afe!), me levou à casa dele, onde, entre risadas e cervejas, fez o conserto, ele nada cobrou, ou seja, de um imprevisto desagradável, numa cidade com história do Brasil (Rio das Velhas = ouro, minérios em geral, a meia hora de Bêagá, o imperador D. Pedro II e a imperatriz Tereza Cristina estiveram lá), ganhei um amigo de fé: José. Coisas da vida, minha nêga, como diz o Paulinho da Viola numa canção. Para terminar, não esquecer que “todo mineiro é conspirador.” É a nossa genética, nosso psiquismo muito bem arraigado.

***

Come wear the thick cotton clothes of the miners, as did the Emperor of Brazil, Dom Pedro II and Empress Tereza Cristina.

Once in a while your head hurts, a tooth barks, one of your shoes sticks out its tongue in the middle of the street, and then it gets complicated, my friend, you will go back home with a limp, my friend with the thin beak (the shoe), there are always little everyday surprises, everyday, everyday accidents, unforeseen events that, if they are often unpleasant and even despairing, are sometimes even funny, if analyzed afterwards. It happened to me, in the beautiful and small nearby Rio Acima, that I was wearing a suit and tie, and put elegance into it, raw leather shoes, one of which did me the solemn favor of opening my mouth on the street, but I was so lucky that Sunday, that a passerby, a truck driver and, in his spare time, a shoemaker, joiner, master carpenter and who knows what else good he has, noticed my embarrassment (embarrassment, in Spanish, is embarazo, it means pregnant woman. … afe!), took me to his house, where, between laughs and beers, he did the repair, he charged nothing, that is, from an unpleasant unexpected, in a city with Brazilian history (Rio das Velhas = gold, ores in general, half an hour from Bêagá, Emperor Pedro II and Empress Tereza Cristina were there), I gained a friend of faith: José. Things of life, my nêga, as Paulinho da Viola says. To finish, don’t forget that “every miner is a conspirator.” It is our genetics, our very well ingrained psyche.

Darlan M Cunha

CLUBE da ESQUINA nº2. MILTON e LÔ: https://www.youtube.com/watch?v=-83HCIbrfWU

CLUBE DA ESQUINA nº 1. MILTON (Vídeo no Blog de MOACIR SILVEIRA): https://www.youtube.com/watch?v=YkLjtrJjXEM

teoria praticante

Vai um requeijão, um queijo, cafezinho, biscoitos de polvilho ? A Casa é sua.

@1.

Milhares de cafezinhos depois do primeiro, cá estamos, muito apreensivos, porém, vamos nos esquecer por momentos de tal nuvem carregada de dúvidas, vamos ao sustento do bom humor, que ninguém é de ferro, como diz o Povão, embora o Povão não saiba de quase nada. Quase, eu só disse de quase nada. Traga as amigas e os amigos de fé. Bico doce e clave em sol maior.

Biscoitos de queijo

@2.

Enviei duas camisetas para irmãs que moram nos EUA. Eu as comprei numa pequena loja – de uma porta só -, no Mercado Central de BH. Cristiano tem camisetas só com motivos de Minas Gerais, pelo que os estrangeiros, sim, de outros países, e os estrangeiros, que não são estrangeiros, porquê são brasileiros, sempre passam por lá. Há camisetas cujas inscrições são bordadas na máquina, uma beleza, lojinha pequena e simples. Pois bem, minhas irmãs enlouquecerem com a beleza. Em tempo: ninguém me pediu para fazer propaganda de A ou Z.

Ê Minas, é hora de partir, eu vou… (DORI CAYMMI, ZÉ RENATO e RENATO BRAZ – música DESENREDO)

@3.

Devo dizer, entre contrito e irado, devo dizer que nada me assombra mais do que a pobreza da percepção humana, digo e repito em altos brados que muito me admiro de tantas maldades das quais são capazes estes nanicos, e não lhes tiro o chapéu, assim eu dou esse tico de palavreado, avisando: Se cuidem, nanicos humanos demasiados desumanos ! Capetas nas ruelas de Minas Gerais, seja madrugada nascente ou alta, aparecem aos montes. Cuidado. Balada tem hora ? Não tem, não. Não venham até Minas: é cheia de Diabas e Diabos ! Quem não avisa, inimigo é, mas quem avisa, amigo é.

SENHOR BRASIL, ROLANDO BOLDRIN… MINAS, AQUI: MILTON NASCIMENTO e AMIGOS: https://www.youtube.com/watch?v=xW1w5yYd3cY

@4.

Uns dias, é fato que tu os experimentaste, a gente se sente como quem partiu ou morreu, sei lá, algo lá dentro nos acorda, e a raiva aparece, ou um arrependimento, o fogão assim esquecido, não se quer saber de nada e de ninguém, sim, um dia para Não se esquecer é esse tipo de dia que nos põem ou nos repõem na trilha dura de ver longe, de não nadar na lama, no lodo, em nuvens. Já se disse que “ir é o único horizonte”.

Darlan M Cunha

FAMÍLIA ASSAD. MILAGRE DOS PEIXES (MILTON NASCIMENTO): https://www.youtube.com/watch?v=ppVU_zC6Qnk

DORI CAYMMI, ZÉ RENATO e RENATO BRAZ. DESENREDO. Programa SENHOR BRASIL, ROLANDO BRASIL. https://www.youtube.com/watch?v=k-rFnhcNbX0

doce de requeijão & outras frequências

É um doce inigualável, poucos conhecem o que ele faz com os labirintos das sinapses cerebrais, com o palato, a língua, o estômago e por fim com o humor das vítimas…

@1.

Um bom requeijão é difícil de ser encontrado, mas ainda há, e isso é fundamental, e então nada de requeijão esfarinhento, ressecado, este é um ponto base. Algo do peso: um quilo. Então, ralar o requeijão num ralo fino, misturando com duas colheres de farinha de trigo (sem miséria nas colheradas, ora) e um ovo (clara e gema), ir amassando como se fosse massa de biscoito, para dar certa liga, sem untar as mãos (que o óleo é do próprio requeijão). Faça as bolinhas, e numa panela forte e larga, vá preparando a calda de açúcar com cravos e, caso queiras, um pedaço de pau de canela, e a partir daí colocar cuidadosamente as bolinhas na calda bem quente. Quando no ponto, deixe-a esfriar, pode-se inclusive colocar na geladeira. Este é um doce que é ou era comum no norte de Minas Gerais – Vale do Jequitinhonha. Este foi preparado aqui em casa, em BH. Criminosamente delicioso, muito cuidado com a dependência, quem avisa amigo é. Minhas avós, já falecidas, e minha mãe, toda serelepe aos quase 89, e eu, um aprendiz relapso, garantimos a tua escravidão a esse doce.

@2.

O presidente da República está brincando com fogo, ele, que serviu no Exército, entende de outro tipo de fogo, se é que. Seu fim político não será nada bom para ele, o Brasil não sentirá nenhuma falta de tanto despreparo, de tanto analfabetismo social, analfabetismo no que tange a se ter uma visão sociológica abrangente (sim, de fato, é para poucos). O país, em que pese ter muita gente desleixada, não sentirá falta nenhuma.

As notícias: como decifrá-las, traduzi-las, tê-las na conta das próprias mãos ? “É pau, é pedra…” diz a canção Águas de Março.

@3.

UM CONCEITO DO GRANDE BRASILEIRO QUE FOI O ENGENHEIRO E PRESIDENTE DO GRUPO VOTORANTIM, O Dr. ANTÔNIO ERMÍRIO DE MORAES, (1928-2014), DE UMA HONRADEZ À TODA PROVA: “Teoria não é a solução para os problemas sociais do Brasil. O que se precisa fazer é arregaçar as mangas, melhorar a administração das verbas e aplicá-las diretamente onde a questão é urgente.” (Antônio Ermírio de Moraes (1928-2014), engenheiro, filho do também engenheiro e fundador da VOTORANTIM, José Ermírio de Moraes. Antônio Ermírio o sucedeu na direção da Empresa).

@4.

Passagem comprada, resta esperar a madrugada, sem se desesperar dentro dela (são 03:22h), indo à casa sem número, nua de tiques e taques. Isso aqui é muito triste, ficou assim um clima bem macambúzio, ácida a correnteza, nenhum livro na cabeça, nas esquinas das aldeias parece que o que há é a réplica bilimultiplicada da tela O Grito, do norueguês Edvard Munch (1863-1944), quando não a reiterada, sutil e tão profunda solidão nas telas do estadunidense Edward Hopper (1882-1967), bem como no ar de incerteza de Os Ciclistas, do gaúcho Iberê Camargo (1914-1994), e, por fim, a tensão na música Água e Vinho, de Egberto Gismonti e Geraldo Carneiro.

Estrogonofre de frango

@5.

Às vezes, lembro-me dos que se foram, amigos e amigas de fato, e uma lassidão poderosa instala-se por tempo indeterminado, ou mesmo até que eu os expulse a todos e todas, mandando eles e elas às favas, ó, não mais me interrompam o coçar dos dedões dos pés, sim e sim, uma verdadeira amizade – o povão diz isto -, costuma ser mais forte e duradoura do que o famigerado sentimento de amor, sendo que um dos dois, ou ambos, deve(m) carregar o peso e a leveza do tempo de verbo grego (tempo indeterminado), antigas palavras oaristo e aoristo.

@6.

Amanhã, levarei minha Mãe para a segunda dose da anti COVID-19. Desejo que todas as Mães tenham este real conforto, este alívio, essa boa prescrição rumo ao sossego delas e deles que são o Esteio familiar: vovós e vovôs.

bairro Buritis, BELO HORIZONTE, MG

Darlan M Cunha