normal

***

@.1

Um ditado popular diz que a razão tem razões que a própria razão desconhece, foi isto o que ouvi ontem no mercado central de BH, uma voz indignada, sem querer compreender o incompreensível, essa voz se perguntar como é que um pai, em desalinho com a ex mulher, pode raptar e jogar suas duas crianças no mar, a alguns quilômetros da costa, a mil metros de profundidade, já encontradas pela tecnologia náutica da Espanha, uns quarenta dias após o rapto – uma de seis e a outra de um ano. Vi, na TVE-Espanha, vídeos das duas brincando na cama, leveza suprema. Espanha sob choque, e o Mundo também. somos mesmo maiores do que o Absurdo. A vacina anti empatia é fortíssima, anula completamente as pessoas que se tornam indiferentes, alheias e até mesmo imunes a venenos diários, são mitridatizadas – denominação que é uma analogia com a vida do incrível Rei do Ponto, na Anatólia, Mitrídates VI (132 A.c – 63 A.c). Uns dizem surto, mas o que a Psicanálise, a Psiquiatria, os mil e um conceitos das Igrejas, a Moral e a Ética, a Pauta da Justiça, da Lei, os Conselhos Tutelares, etc, têm a nos dizer, nos ensinar, a nos prevenir quanto a tantos trilhos fora dos trilhos, tantas paredes sem prumo no seio das sociedades de todos os lugares, uns mais, outros menos ?

@.2

É assim que se vive quando o coração é frio.
Como eu: em sombras, rastejando sobre rochas frias,
sob os grandes bordos.

O sol mal me toca.

(Versos iniciais do poema Lamium, da estadunidense Louise Glück, Prêmio Nobel de Literatura 2020)

@.3

Vontade de sair para pescar, mas parece que peixes já não há, cada vez é preciso ir mais longe para se conseguir umas piabinhas e uns bagres ou, com mais sorte, umas traíras, tilápias, cascudos. Os peixes reuniram-se numa grande convenção, e afinaram suas defesas, como diz a música Passaredo, do Chico Buarque: muito cuidado / que o Homem vem aí. Tá danado.

Darlan M Cunha: arte e texto

rede(s)

COISAS DA CASA, DE CASA

Um homem e um anzol, mas onde o peixe que virá ou não virá entre o altercado das ondas, ou no silêncio de uma água lisa feito vidro ? Joga o homem suas iscas sobre o peixe, isso porque o homem, por se achar sapiens, é também celeiro de truques; isso porque o homem, por sagaz, outras ilusões ou espertezas inventa, e joga sobre o peixe uma fieira de anzóis, ou joga a rede ou joga na água uma bomba, e joga também sobre outros homens outras mil bombas, pelo que os peixes e as algas simplesmente morrem, eis a plástica prática dos dias: ene motores de popa, sonares, radares, mas há os atrasados no Tempo, sim, certos índios amazônicos tonteiam os peixes com um narcótico extraído de uma planta ou cipó de nome timbó, mas os peixes também se fizeram cada vez mais espertos contra o faminto lá em cima, e se unem, avisam, sempre atentos, enquanto comem uns aos outros. Ó vida de lutas sem fim !

A TRISAVÓ E AS PROVAS CABAIS DO CRIME BÁRBARO, HEDIONDO.

Darlan M Cunha

DORIVAL CAIMMY. O Bem do Mar.: https://www.youtube.com/watch?v=W9iiFNNOAwE

Arapaima gigas (Pirarucu)

Pirarucu, peixe vermelho – entre os indígenas
***

@1

Um livro não escrito e, portanto, não lido, está a me incomodar de maneira sutil já a partir deste início de manhã, chegando devagar, aproveitando as frestas, cavernas e sombras. Darei cabo dele, ou ele de mim. Ara é o nome na pele dele, que me pede que a sua carne e ainda mais seus ossos sejam de pequenas crônicas ou algo assim. Darei cabo dele, talvez, ou ele de mim, talvez.

@2

Configurações: obedecemos a estas muitas exigências todos os dias, diversas e as mesmas, impondo atualizações sempre à procura do mesmo tédio, com velhas e novas apreensões, digressões evasivas, com um intuito mais que sabido. Obrigados por tais avanços a nos ajoelhar, e até mesmo contentes (muitos), agradecemos.

@3

Quanto ao maior peixe de água doce do mundo – pirarucu – devo dizer que este exemplar aí acima (pequeno para a possibilidade dos pirarucus, mas também não sendo este um filhote, até porque é óbvio que a captura não é permitida), exposto ao público, foi capturado quase no muque por este que escreve estas linhas, sim, foi uma luta de titãs – acontecida num sonho meu. Está(va) no VilleFort, no bairro Barreiro de Baixo, Belo Horizonte. Gigas é o sobrenome dele.

***

Foto e texto: Darlan M Cunha

Darlan M Cunha. Same Journey. (POEMHUNTER): https://www.poemhunter.com/poem/same-journey/

Mineiros:

A ESTRELA DESTE DOMINGO, 03 novembro: SURUBIM
*




Depois, o azeite.
***
*

MINA(h)AS dúvidas arteiras

Os mineiros temos fama de sermos maneiros, calados, comermos quietos, entendermos de minérios, trens de ferro, política, alguma literatura, jaboticaba, sim, em Sabará se faz a FESTA da JABUTICABA em novembro, e as pessoas podem até mesmo alugar um pé, sò para a família _ pode crer _ dura vários dias essa festa de âmbito nacional e internacional. Pois é, mas não se esqueçam de que um mineiro trouxe o avião para o seu cotidiano, sim, essa máquina pensada a partir da Fazenda Cabangu, cidade de Santos Dumont. Portanto, como se vê, são quietos, enquanto mexem seus pauzinhos, isto é, enquanto descansam, carregam pedras. Mas é só fama, somos capiaus e capioas. Uai !

Mineiro é engraçado, todo mineiro leva consigo a fama de ser bom da telha, algo de ruim dos miolos, pensador nato e inato. Leia O Grande Mentecapto, e saberás ainda melhor do assunto que aqui se aventa, se diz.

Todo mineiro è Conspirador por essência total, e vem disso boa parte do seu encanto, mas devo alertá-los acerca de seu estopim, de sua boa fama: Entre, mas entre devagar, isso porque em Minas se dá um boi para nunca entrar numa briga, mas uma boiada para não sair dela.

Mineiro é assim de desconfiar até da hora cantada pelo galo, desconfia até de São Tomé. Mestre que ele é em fazer política, o danado inventa e reinventa neste velho campo da sociedade, já visto com receio pelo Povão, mas são todos cheios de manhas e artimanhas os mineiros. Ora, para que servem aqueles tapinhas nas costas, os afagos em crianças, os discursos improvisados, carroceria de caminhão por palanque, oratória para pedagogia nenhuma botar defeito ?

E tome voto.
Para terminar, às minhas Amadas e aos meus Caros, olhem para o mapa de Minas Gerais, e verão que SÓ ela – Minas – tem nariz, fareja longe.

***

Fotos e Texto: DARLAN M CUNHA

correnteza(s) que o viver mistura usa desusa

o garoto e sua companhia – MEDINA, MG
***

selas 1 – MEDINA, MG
***

LOCALIZAÇÃO // MEDINA, MG, BRASIL
***

CASA – 12

*

Onde nasci passava um rio que praticamente sumiu sob queimadas, desmates, retiradas de areia para construções, o rio no qual as mães lavavam panelas e roupas, que depois se tornou amargura ardendo feito pimenta nos olhos.

A estrada Rio-Bahia tossia poeira de mil caminhões, jipes e carroças, burros, mulas, éguas e cavalos numa vida de mesmice igual à dos donos, animais que uma vez e outra eram enfeitados para uma festa geral. O rio sumiu, o gato comeu, o rato roeu, o urubu bicou, a galinha bebeu o rio São Pedro, em Medina, MG

mas ainda está comigo, estou vindo de suas margens, com fieiras de peixes imaginários na direita, varas de bambu na mão sinistra, anzóis de tamanhos, intenções, alvos diferentes. Agora, vão para a panela estes bagres, piabas, cascudos, traíras. Cuidado com as crianças, que traíras têm muito espinho. Hoje, o rio se parece com uma estrada poeirenta.

Onde nasci passava um rio – nadei, cavalos burros jegues e éguas montei, umbu e carne de sol provei. Cavalos, onde estão os cavalos de crina, carne, ossos, grunhidos, coices, onde, que só vejo e ouço com extrema inquietação os cavalos pomposos e ruidosos, os cavalos neurotizantes e mortais dos automóveis ?

***

Fotos e texto (exceto o mapa Google): Darlan M Cunha

XANGAI. A ESTRADA DAS AREIAS DE OURO (Autor ELOMAR FIGUEIRA MELO), Vídeo de MOACIR SILVEIRA: https://www.youtube.com/watch?v=-Fm1PgOIzm8

Odoyá

“ODOYÁ”, de RAY VIANNA. Praia Vermelha, SALVADOR, BA. (Foto de DARLAN M CUNHA).

*****

Se o mar é a tua razão maior

ou segunda, entra nele então

e fica de alga peixe gaivota

traineira baiacu náufrago coral,

pois se te sabes do mar, larga

deste pouco onde subvives

à beira dele numa falésia

numa aldeia de pescadores

enquanto as falésias desabam

e as aldeias trucidam-se, sim

vá com urgência ao útero geral,

pois se o mar é mãe e música

que se abracem é de todo natural.

***

DARLAN M CUNHA

DORIVAL CAYMMI. O Bem do Mar.:
https://www.youtube.com/watch?v=ckLQA94YAMY