gestando

GENÉTICA: Novos frutos

***

Zero

Aqui estamos todos neste ambiente onde a dor sabe que ela não tem outra saída que não seja a de nos dar um tempo, e então sentar-se ao lado, e escutar o que havia nos dias de Antes. Mas esse tempo de limpeza da Casa só virá mesmo se cada qual se armar com uma tenaz nas atitudes diárias, ou então, nada feito. O Invisível está aí, bem visível. Este é um jogo sujo, melhor, tornado sujo. Vacina é dinheiro, até porque onde há gente há problemas novos e antigos e futuros. O cafezinho está esfriando.

***

Here we all are in this environment where pain knows that it has no other way out but to give us a break, and then sit by, and listen to what was there in the days of Before. But this time to clean the House will only really come if each of us arms ourselves with tongs in our daily attitudes, or else nothing will happen. The Invisible is there, very visible. This is a dirty game, or rather, a game made dirty. A vaccine is money, because where there are people there are new and old and future problems. The coffee is getting cold.

Darlan M Cunha

bichos

Pesadelo >>> Nightmare

***

De pesadelo em pesadelo

Os bichos estavam arredios, agitados e desconfiados do que se aproximava, grande demais para que fosse notado de onde vinha ou o que era, mas os bichos têm dentro de si uma percepção extra a que chamamos de sexto sentido que parece avariado nos humanos. Foi o que se deu com o Grande Tsunami: dias antes, a terra tremia bem de leve, e os bichos começaram a ir-se de seus lugares, trilhas, tocas, nichos e ninhos, e ninguém atentou a isso, nenhum dos 250 mil mortos em minutos. Dias antes, os elefantes, amarrados a correntes, estavam indóceis, e se foram arrebentando tudo. Nenhum elefante morreu. É um fato constatado pelos sobreviventes. Ao longe o mar – repetindo aqui este famoso e delicado verso. Há 14 meses temos algo que a todos sufoca (sufocar significa falta de ar, digamos aos esquecidos), mas muitos ainda teimam em convidá-lo à casa, à mesa, à cama, à maca. Bom, o café está esfriando.

***

From nightmare to nightmare

The animals were restless, agitated, and suspicious of what was approaching, too big to notice where it was coming from or what it was, but animals have within themselves an extra perception that we call a sixth sense that seems broken in humans. This is what happened with the Great Tsunami: days before, the earth shook very lightly, and the animals started to leave their places, trails, burrows, nests, and nests, and nobody paid attention to it, none of the 250,000 dead in minutes. Days before, the elephants, tied up in chains, were unmoved, and they went about tearing everything apart. No elephant died. This is a fact verified by the survivors. In the distance the sea – repeating here this famous and delicate verse. For 14 months we have had something that suffocates everyone (suffocating means shortness of breath, let’s tell the forgetful), but many still insist on inviting it to the house, to the table, to the bed, to the stretcher. Well, the coffee is getting cold.

Darlan M Cunha

numeral

solidão a dois // loneliness in two

***

Uma vez que outro rio seca, que as cadeiras vergam ao peso das ausências, que ninguém tem certeza de mais nada, o que fazer, onde procurar a sombra da Razão, a sementeira de novas buscas ? Embora todos tivessem sido avisados, a erva daninha espalhou-se pelo asfalto, feito rastilho de pólvora, mas apesar de tudo isso – sem essa de “falar é fácil” -, apertados os cintos, vamos ao café, ao bar, depois, cada qual com sua vassoura e espanador anti sombra. As cadeiras voltarão a estar cheias.

***

Once another river dries up, once the chairs bow to the weight of the absences, once no one is sure of anything anymore, what to do, where to look for the shadow of Reason, the seedbed of new searches? Although everyone had been warned, the weed spread across the asphalt like a gunpowder fuse, but in spite of all this – not that “talking is easy” – once we tighten our belts, we go to the café, to the bar, then, each one with his or her broom and anti-shadow duster. The chairs will be full again.

DeepL.com

Darlan M Cunha

Walter Franco (1945-2019). Nasça. https://www.youtube.com/watch?v=YS7I32k9nBk

pensar

Genética… e Preconceito

Tubo

Sem outro assunto, por isolado que estás, resta pensar
num lugar menos árido do que essa cama em decúbito costal,
um tempo ímpar surge para se pensar e repensar que
de degrau em degrau a razão perdeu o tato [a vida não],
e agora, deitada num silêncio quase vácuo, entre passistas
e maestros de ótima cepa (entre o avental e a rua), a razão
analisa seus imbròglios antigos e novos, grandes e pequenos.

***

Tube

With no other subject, as isolated as you are, you can only think
a less arid place than this bed in costal decubitus,
an odd time arises to think and rethink that
from step to step reason has lost its touch [life has not],
and now, lying in an almost vacuum silence, among passersby
and maestros of great stock (between the apron and the street),
reason analyzes its imbroglios old and new, large and small.

Darlan M Cunha

JOHANN SEBASTIAN BACH – Cantata 147. Jesus, Alegria dos Homens // Jesus, bleibet meine Freund: https://www.youtube.com/watch?v=oZkaEaRYIJY


não é hora de rir, 3

E agora, Paciente ?

Quem com ferro fere, com ferro será ferido – antigo ditado popular, do qual me lembrei, ontem, ao ouvir a muito respeitada Dra. cardiologista Ludhmila Abrahão Ajjar, que disse esta frase amargamente real, sutil, a qual eu vi escrita na tela de um canal de televisão: “O cenário é bastante sombrio… O Brasil vai chegar em 500, 600 mil mortes...” //

He who wounds with iron will be wounded with iron – an old popular saying, which I remembered yesterday, listening to the well-respected cardiologist Dr. Ludhmila Abrahão Ajjar, who said this bitterly real, subtle sentence, which I saw written on the screen of a television channel: “The scenario is quite gloomy… Brazil will reach 500, 600 thousand deaths

Faz tempo que digo a mesma coisa desta mesma amargura que parece uma tragédia sem fim, uma patologia mais do que gigantesca, um assombro que, por incrível que pareça, para muitas pessoas quase não existe, é um cisco ou mesmo uma lenda. Mas digo também que é o único democrata que de fato existe, e ele está aqui à porta, esse tormento não respeita profissões, hierarquias, contas bancárias e nem idades. É democrático. Ele é o Cara. Neste jogo temos que ser desleais para com o adversário: temos de jogar com 12 em campo, contra os 11 regulamentares do adversário. Nada de dormir. Meu falecido pai, funcionário do IBGE durante quase 40 anos, dizia que a partir de certa idade a gente não faz aniversário, e sim adversário. Nada de dormir, iremos bem.

For a long time I have been saying the same thing about this same bitterness that seems like an endless tragedy, a pathology more than gigantic, a haunting that, incredible as it may seem, for many people almost doesn’t exist, it is a speck or even a legend. But I also say that it is the only democrat that actually exists, and it is here at the door, this tormentor is no respecter of professions, hierarchies, bank accounts or even ages. He is democratic. He is the Guy. In this game we have to be disloyal to the opponent: we have to play with 12 on the field, against the opponent’s regulation 11. No sleeping. My late father, an IBGE employee for almost 40 years, used to say that after a certain age we don’t have a birthday, but an adversary. No sleeping, we will be fine.

DeepL.com/Translator

@1.

Bom, vamos à leveza, porque ela está chamando, chorando. Vamos ao pão de cada dia, fatia por fatia. // Well, let’s go to lightness, because it is calling, crying. Let’s go to our daily bread, slice by slice.

As roscas foram feitas aqui em casa. Minha mãe, Dona MARIA JOSÉ, cuidou disso, com uma pequena ajuda do aprendiz.

Darlan M Cunha

doce de requeijão & outras frequências

É um doce inigualável, poucos conhecem o que ele faz com os labirintos das sinapses cerebrais, com o palato, a língua, o estômago e por fim com o humor das vítimas…

@1.

Um bom requeijão é difícil de ser encontrado, mas ainda há, e isso é fundamental, e então nada de requeijão esfarinhento, ressecado, este é um ponto base. Algo do peso: um quilo. Então, ralar o requeijão num ralo fino, misturando com duas colheres de farinha de trigo (sem miséria nas colheradas, ora) e um ovo (clara e gema), ir amassando como se fosse massa de biscoito, para dar certa liga, sem untar as mãos (que o óleo é do próprio requeijão). Faça as bolinhas, e numa panela forte e larga, vá preparando a calda de açúcar com cravos e, caso queiras, um pedaço de pau de canela, e a partir daí colocar cuidadosamente as bolinhas na calda bem quente. Quando no ponto, deixe-a esfriar, pode-se inclusive colocar na geladeira. Este é um doce que é ou era comum no norte de Minas Gerais – Vale do Jequitinhonha. Este foi preparado aqui em casa, em BH. Criminosamente delicioso, muito cuidado com a dependência, quem avisa amigo é. Minhas avós, já falecidas, e minha mãe, toda serelepe aos quase 89, e eu, um aprendiz relapso, garantimos a tua escravidão a esse doce.

@2.

O presidente da República está brincando com fogo, ele, que serviu no Exército, entende de outro tipo de fogo, se é que. Seu fim político não será nada bom para ele, o Brasil não sentirá nenhuma falta de tanto despreparo, de tanto analfabetismo social, analfabetismo no que tange a se ter uma visão sociológica abrangente (sim, de fato, é para poucos). O país, em que pese ter muita gente desleixada, não sentirá falta nenhuma.

As notícias: como decifrá-las, traduzi-las, tê-las na conta das próprias mãos ? “É pau, é pedra…” diz a canção Águas de Março.

@3.

UM CONCEITO DO GRANDE BRASILEIRO QUE FOI O ENGENHEIRO E PRESIDENTE DO GRUPO VOTORANTIM, O Dr. ANTÔNIO ERMÍRIO DE MORAES, (1928-2014), DE UMA HONRADEZ À TODA PROVA: “Teoria não é a solução para os problemas sociais do Brasil. O que se precisa fazer é arregaçar as mangas, melhorar a administração das verbas e aplicá-las diretamente onde a questão é urgente.” (Antônio Ermírio de Moraes (1928-2014), engenheiro, filho do também engenheiro e fundador da VOTORANTIM, José Ermírio de Moraes. Antônio Ermírio o sucedeu na direção da Empresa).

@4.

Passagem comprada, resta esperar a madrugada, sem se desesperar dentro dela (são 03:22h), indo à casa sem número, nua de tiques e taques. Isso aqui é muito triste, ficou assim um clima bem macambúzio, ácida a correnteza, nenhum livro na cabeça, nas esquinas das aldeias parece que o que há é a réplica bilimultiplicada da tela O Grito, do norueguês Edvard Munch (1863-1944), quando não a reiterada, sutil e tão profunda solidão nas telas do estadunidense Edward Hopper (1882-1967), bem como no ar de incerteza de Os Ciclistas, do gaúcho Iberê Camargo (1914-1994), e, por fim, a tensão na música Água e Vinho, de Egberto Gismonti e Geraldo Carneiro.

Estrogonofre de frango

@5.

Às vezes, lembro-me dos que se foram, amigos e amigas de fato, e uma lassidão poderosa instala-se por tempo indeterminado, ou mesmo até que eu os expulse a todos e todas, mandando eles e elas às favas, ó, não mais me interrompam o coçar dos dedões dos pés, sim e sim, uma verdadeira amizade – o povão diz isto -, costuma ser mais forte e duradoura do que o famigerado sentimento de amor, sendo que um dos dois, ou ambos, deve(m) carregar o peso e a leveza do tempo de verbo grego (tempo indeterminado), antigas palavras oaristo e aoristo.

@6.

Amanhã, levarei minha Mãe para a segunda dose da anti COVID-19. Desejo que todas as Mães tenham este real conforto, este alívio, essa boa prescrição rumo ao sossego delas e deles que são o Esteio familiar: vovós e vovôs.

bairro Buritis, BELO HORIZONTE, MG

Darlan M Cunha